Bem Vindos!

Bem Vindos galera, em nosso Blog, aproveite as novidades.
Vamos nos comunicar e trocar idéias sobre grupo de coroinhas.


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Paramentos Litúrgicos

Paramentos Litúrgicos







Habito Religioso: Veste própria dos Religiosos, sinal de sua consagração a Deus.


Veste Talar: Veste dos ministros Ordenados, geralmente preta ou cinza e branca. Representa a morte para o mundo.


Faixa: Espécie de cinto, usado sobre a veste talar; nas cores preta, violácea, vermelha e branca.


Barrete: Chapéu com três pontas, usado pelos clérigos e ministros Ordenados, nas cores preta, violácea e vermelha. Significa a graduação pessoal na Ciência Divina.


Colarinho Romano: Gola branca usada sob a veste talar, como sinal da pureza de coração.


Sobrepeliz: Blusão semelhante a uma alva, porém mais curta, própria de quem desempenha alguma função litúrgica.


Roquete: Difere da sobrepeliz pelas rendas.


Mozeta: Capa móvel usada sobre o roquete, nas cores violácea, vermelha e vinho.


Murça: Pequena capa costurada à veste talar, na cor da própria veste.


Amito: Pano que reveste o pescoço dos ministros, durante as funções litúrgicas.


Alva: Veste branca, comum aos ministros de qualquer grau. Lembra a pureza que se deve ter ao aproximar-se dos Sagrados Mistérios.


Cíngulo: Cordão que se ata à cintura. Pode ser usado sempre o de cor branca ou sua cor varia conforme o tempo litúrgico. Ter os rins cingidos significa o estado de vigilância aguardando a vinda do Senhor.


Estola: Faixa vertical com as pontas pendentes para frente. Símbolo do sacerdócio. Sua cor varia conforme o tempo litúrgico.


Estola Diaconal: Faixa diagonal, da esquerda para a direita. Simboliza o serviço. Sua cor varia conforme o tempo litúrgico.


Casula: Grande manto solene dos ministros ordenados. Sua cor varia conforme o tempo litúrgico. A cruz na parte posterior nos lembra o convite a carregar o julgo de Cristo.


Dalmática: Veste solene, própria do diácono, semelhante à sobrepeliz, porém sua cor varia conforme o tempo litúrgico. Usada também pelos bispos, sob a casula.


Túnica: Alva simplificada que dispensa o uso do amito.


Véu Umeral: Usado para transportar a Eucaristia durante as procissões e para dar a benção com o Ss. Sacramento.


Capa Pluvial: Grande capa usada para aspersão da água benta, na administração do batismo, na assistência do matrimônio, e durante as procissões. Sua cor varia conforme o tempo litúrgico.


Insígnias episcopais:


Solidéu: Pequeno gorro que cobre o cimo da cabeça dos bispos, nas cores violácea, vermelha e branca. Usado também pelos religiosos como sinal de sua consagração, geralmente da cor do hábito religiosos.


Cruz Peitoral: Crucifixo usado pelos bispos. Significa a dignidade Episcopal.


Anel Episcopal: Anel usado pelos bispos, representando sua fidelidade à igreja.


Mitra: Chapéu pontiagudo usado pelos bispos nas funções litúrgicas. Representa a autoridade na pregação do evangelho e o grau máximo da dignidade sacerdotal.


Báculo: Cajado usado pelos bispos, símbolo do pastoreio. O do papa é em forma de cruz, simbolizando a solicitude pela igreja do mundo todo.


Pálio: Faixa de lã própria dos arcebispos entregue diretamente pelo papa no dia de s. Pedro, usada sobre a casula. As cinco cruzes representam os sofrimentos de Cristo, Bom Pastor, que leva as ovelhas sobre os ombros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário